Medição da Vontade Pessoal

Segundo o dicionário HOUAISS, a vontade é a “faculdade que tem o ser humano de querer, de escolher, de livremente praticar ou deixar de praticar certos atos; força interior que impulsiona o indivíduo a realizar algo, a atingir seus fins ou desejos; ânimo, determinação, firmeza; disposição, empenho, interesse, zelo; capacidade de escolher, de decidir entre alternativas possíveis; sentimento de desejo ou aspiração motivado por um apelo físico, fisiológico, psicológico ou moral; prazer, apetite, deleite, gosto; desejo impulsivo; capricho; deliberação, determinação, decisão que alguém expressa para que seja cumprida ou respeitada”.

A autovoliciometria é o ato ou efeito de a consciência medir, avaliar ou determinar a extensão, amplitude, profundidade e qualidade da própria vontade.

Caracterologia. Quanto às características ou propriedades inerentes da volição, eis, na ordem alfabética, pelo menos, 5 aspectos em destaque:
1. Extensão: da vontade efêmera à duradoura.
2. Holossomaticidade: da volição unitária, a automanifestação e sobrevivência com predomínio dos instintos e reflexos somáticos, à ternária, a automanifestação e sobrevivência governando, simultaneamente, o soma, psicossoma e mentalsoma.
3. Intensidade: da hipovolição à hipervolição.
4. Profundidade: da vontade, de natureza subcerebral, psicossomática à vontade, de essência paracerebral, mentalsomática.

Taxologia. O conhecimento das categorias de volição auxilia a conscin na autavaliação, sendo essencial para a realização da autovoliciometria. Do ponto de vista da Voliciologia, eis, na ordem alfabética, 3 categorias básicas de volição e respectivos exemplos:
1. Homeostática: a inteligente ou discernidora; a construtiva; a evolutiva vigorosa; a cosmoética; a sadia decidida ou resoluta; a evolutiva inabalável; a sadia motivada; a autossuperadora.

2. Neutra: a lúcida ou consciente; a deliberada; a instintiva ou inconsciente; a insistente; a unidirecional ou fixada; a sugestionada; a repentina; a disfarçada; a explícita; a política; a disciplinada.

3. Nosográfica: a errática ou deslocada; a destrutiva; a débil ou tíbia; a impotente ou ineficaz; a enferma; a má; a acrítica; a suscetível; a irresistível ou dominadora; a facciosa.

O ATO DE EXAMINAR A PRÓPRIA VONTADE COM O INTUITO DE APRIMORÁ-LA
É MEDIDA INTELIGENTE PARA O APROFUNDAMENTO
E MANUTENÇÃO
DINÂMICA DO
AUTORRENDIMENTO EVOLUTIVO INTERASSISTENCIAL.

Ricardo Rezende


Compartilhar: